Bem famoso nos Estados Unidos, mas bastante celebrado também mundo afora, o Valentine’s Day se comemora em 14 de fevereiro por ser a data que marca o aniversário da morte de São Valentim.

No século III, o jovem e apaixonado Valentim era um opositor à proibição dos casamentos estabelecida à época pelo imperador romano Claudio II. Além disso, concedia bênçãos matrimoniais de forma clandestina e, por isso, foi preso e morto no dia 14 de fevereiro de 270.

Como começou a tradição da troca de cartões

Diz a lenda que, durante o período em que esteve trancafiado, Valentim teria se apaixonado por uma jovem, filha do carcereiro, com quem manteve um romance secreto. Antes de sua morte, o religioso escreveu uma mensagem para sua amada em que assinou “do seu Valentim”, criando aquilo que se tornaria o primeiro cartão de dia dos namorados.

Apesar das dúvidas, a data que relembra sua morte se instaurou e, mesmo sofrendo algumas mudanças com o passar dos séculos, consolidou-se como uma ocasião para as demonstrações de afeto entre casais de todo o planeta que é celebrada até os dias atuais.

Mas por que no Brasil não é neste dia?

Por vários fatores: primeiro porque São Valentim não é popular por aqui e depois por ser muito perto de carnaval e outras festas religiosas. Daí já é Dia das Mães. Então, só sobrou junho.

No ano de 1949, João Dória, um dos maiores publicitários do Brasil, trouxe do exterior a ideia de determinar uma data em homenagem aos jovens casais, mas como fevereiro não era um mês promissor, a data foi mudada para o dia 12 de junho, justamente a véspera do dia de Santo Antônio, santo bem conhecido no Brasil como santo casamenteiro. Tudo a ver com a proposta.

Quais são as diferenças entre as culturas?

Nos Estados Unidos esta data é a celebração do amor. Por isso, não é preciso ser namorado de alguém pra enviar cartões com mensagens. Você pode enviá-los como demonstração de amor aos seus amigos, familiares, como se fosse cartão de Natal. E, claro, aproveitar para se declarar.

Os presentes são meio que estabelecidos entre chocolates, flores e o mais importante – os cartões.

Lá, a data é tão importante que é considerada feriado e nem é conhecida como dia dos namorados, mas sim como Valentine’s Day, ou Dia de São Valentim em português.

No Brasil, a estratégia de marketing foi restringir a comemoração ao grupo dos casais e não restringir o presente a flores e chocolates apenas. Além de uma boa dose de propaganda para incorporar  a data à cultura.

Falando nisso, este é um bom momento pra já pensar em promoções e eventos bem bolados para o próximo Dia dos Namorados para promover a sua empresa. Sabia que dá pra fazer promoções de dia dos namorados para empresas de qualquer área de atuação? A Edhy fez uma promoção em que as cartas motivacionais (e prêmios) eram voltados para o amor da vida da pessoa – podia ser namorado(a), cônjuge, mãe, pai…. A promoção foi um sucesso com uma taxa de aderência muito maior do que a média, pois o envolvido encontrava apoio da família para atingir suas metas. Isso é só um exemplo, inúmeras opções podem ser criadas.

Trate a sua marca com amor, traga ela para a Edhy.

Fonte: História Viva, Brasileiros nos EUA

2 Responses to “Valentine’s Day e dia dos namorados. Datas promocionais diferentes com a mesma essência.”

  1. Priscila, Responder

    Adorei o post, eu já sabia da diferença das datas do dia dos namorados no Brasil e nos EUA mas não conhecia os reais motivos, e descobri que em vários outros países da Europa é a mesma coisa no artigo diferenças do Dia dos namorados pelo mundo, fica a dica pra quem se interessa no assunto e quer saber algumas curiosidades sobre a data. Sucesso!!

    • Edhy Marketing, Responder

      Obrigado Priscila! Saber a origem das coisas é essencial para entender o mundo que vivemos. 🙂

Responda