Não contente em ser o maior fenômeno em jogos da história do Facebook, o popular jogo Candy Crush Saga quer completar mais um nível: se apoderar da palavra “Candy” (doce em português).

Os criadores do jogo Candy Crush conseguiram aprovação para obter o registro do termo como marca registrada nos Estados Unidos.

O pedido feito há 1 ano foi aprovado no dia 15 de janeiro pelo United States Patent and Trademark Office, o equivalente ao INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) brasileiro.

A decisão ainda não é o passo final no processo. As empresas que se opõem ao pedido de marca agora têm 30 dias para apresentar uma queixa e opor-se ao registro.

Segundo os jornais internacionais, desenvolvedores de jogos e aplicativos com Candy no nome, no entanto, já começaram a receber emails solicitando que retirem seus aplicativos das lojas virtuais ou que troquem o nome.

Por mais estranho que pareça, este não é o primeiro caso de registro de uma palavra ou frase comuns. Em 2012, a empresa de jogos alemã Ravensburger registrou a palavra “memória”. Tanto que a Apple precisou pedir aos desenvolvedores de aplicativos que deixassem de usar a palavra memória no título dos apps. Alguns mudaram, outros desapareceram.

Candy Crush Saga é o jogo mais popular da história do Facebook, jogado mais de 600 milhões de vezes por dia, por 50 milhões de usuários.

Com esta aprovação a King.com, desenvolvedora do Candy Crush Saga, está se tornando uma grande troll das patentes, pois além de tirar o doce da boca dos outros desenvolvedores, a companhia também está processando os desenvolvedores de jogos que levam “saga” no título.

candy-crush-saga

Antes de desenvolver um novo produto ou serviço é imprescindível consultar os órgãos de marcas e patentes para evitar a interrupção de um projeto no meio ou ser impedido de comercializar a ideia quando ela já está pronta. E, pior ainda, enfrentar processos.

Para tirar suas ideias do papel sem dores de cabeça, conte com a Edhy.

Gostou da matéria? Receba semanalmente nosso newsletter em seu email:




Fonte: The Week, Geek.com, G1, Tech Tudo

 

Responda